Observatory

Observatory

O Observatório ProChild tem como objetivos gerais: 

  • Promover o conhecimento sobre a situação da infância em Portugal, com a organização sistemática da informação relevante disponível, a partir das fontes científicas e da administração pública, com incidência particular nos indicadores de pobreza e bem-estar.
  • Contribuir para a produção de indicadores sobre as condições de vida das crianças, assumindo a criança como unidade estatística de análise e considerando os direitos da criança e os seus níveis de desenvolvimento e bem-estar, nos domínios da saúde, proteção, educação e desenvolvimento e participação social – em consonância com os eixos estratégicos de desenvolvimento do ProChild CoLAB.
  • Contribuir para a formulação de políticas públicas orientadas para a infância, assentes no conhecimento científico e baseadas no confronto com a realidade portuguesa e as melhores práticas internacionais.
  • Promover o estudo comparativo da realidade da infância em Portugal, através da mobilização da informação internacional relevante e cooperar com as agências nacionais e internacionais na produção, sistematização e difusão de dados orientados por critérios de rigor, precisão e atualização.

AméliaBastos | ISEG(Coord.)
Adriana Sampaio | Universidade do Minho
Ana Lima | Centro de Computação Gráfica
Ana Mesquita | Universidade do Minho
Fábio Teixeira | ProChild CoLAB
Jaime Pereira | ProChild CoLAB
Leonor Rodrigues | ProChild CoLAB
Liliana Fernandes | Universidade Católica Portuguesa

Ausência de dados integrados que reflitam a realidade da criança e que permitam a avaliação de indicadores de desenvolvimento e bem-estar na infância em Portugal.

Neste projeto pretende-se desenvolver uma plataforma que permita:

  • Conhecer a realidade da infância em Portugal, recorrendo a um conjunto de dados e áreas diversificados, de forma a melhor informar políticas públicas, bem como os modelos de intervenção mais eficazes;
  • Gerar dados centrados na criança como unidade estatística de observação;
  • Disseminar indicadores estatísticos a partir de um modelo flexível que integre informação de várias fontes e áreas distintas.
  • Criar a arquitetura do Observatório (previsto para janeiro 2021).
  • Criar um modelo flexível que possa reunir um conjunto de dados e áreas que possam alimentar a plataforma de informação que nos permita conhecer a realidade da infância.
  • Identificar clusters de análise/bases de dados temáticas.
  • Criar formas de disseminação dos dados, acessíveis e fáceis de compreender.
  • Permitir desenvolver metodologias de intervenção-ação capazes de influenciar políticas públicas dirigidas para a resolução de problemas específicos.
Scroll to top